DOURADOS

Startup cria aplicativo de celular para tentar baixar preço de combustíveis

Valor cobrado pelos postos em Dourados são os mais caros do Estado

16 ABR 2018 Por Nicanor Coelho, de Dourados 10h:00
Interface do aplicativo que já está rodando em celulares de trinta consumidores que estão participando dos testes Interface do aplicativo que já está rodando em celulares de trinta consumidores que estão participando dos testes

Deverá ser lançado na última semana de abril, em Dourados, um aplicativo de celular que vai monitorar os preços dos combustíveis praticados pelos mais de 60 postos espalhados pela cidade.

O aplicativo que recebeu o nome de “Minus”, que significa menor em latim, está sendo testado por um grupo de trinta pessoas. “Tradicionalmente os preços dos combustíveis em Dourados sempre foram altos em relação a maioria dos municípios do Estado”, disse Ronnei Peterson Dantas da Luz que está à frente do projeto.

O “Minus” segundo Ronnei é um sistema colaborativo que depende da participação dos consumidores para colocar no sistema os preços praticados pelos postos. 

“Nada impede que os próprios donos de postos participem do aplicativo colocando os preços praticados por ele”, explicou Ronnei que acredita que os preços vão baixar já que o consumidor vai procurar o posto que estiver vendendo mais barato.

O aplicativo é o resultado de uma startup formada por duas pequenas empresas de tecnologia de Dourados, a Invictos e a Vega que estão se aventurando neste setor.

“Com o Minus pretendemos mostrar que o interior de Mato Grosso do Sul também tem competência para gerar novas tecnologias na internet”, disse Ronnei.

Neste empreendimento Ronnei conta com a parceria dos analistas Paulo Alberto Thiry Neto e Cley Anders Júlio, que desde o final do ano passado estão trabalhando várias horas por dia no desenvolvimento do aplicativo que depois de pronto estará disponível na internet para ser baixado.

“Esperamos que depois de Dourados o aplicativo seja implantando em outros municípios brasileiros”, explicou Peterson lembrando que o sucesso do projeto depende exclusivamente dos consumidores.

Por conta dos altos preços nos combustíveis em Dourados, no final do ano passado o advogado Sindoley Morais realizou um movimento pelo “Preço Justo” quando mais de mil veículos foram abastecer em postos de Pedro Juan Caballero no Paraguai. 

“Não conseguimos baixar o preço dos combustíveis, mas mostramos a força do consumidor unido”, disse Sindoley que afirma não entender o porquê de os preços dos combustíveis serem praticamente iguais em todos os postos douradenses.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2018 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica