Artigo

Luiz Carlos Pais: "Revista ilustrada Folha da Serra"

Luiz é professor aposentado

12 MAR 2017 Por DA REDAÇÃO 01h:00

A revista ilustrada Folha da Serra foi lançada em Campo Grande, em outubro de 1931, sob a direção de Aguinaldo Trouy, redação do médico Peri Alves Campos, tendo como gerente o guarda-livros Artur de Barros. Publicava aspectos gerais da cultura, história e cotidiano social da região sulina do Mato Grosso. Algumas de suas reportagens, sobre os eventos locais da Revolução Constitucionalista de 1932, serviram de referência para órgãos da imprensa nacional. Empresário do ramo de papelaria, livraria e gráfica, Aguinaldo Trouy era membro de uma família com experiência no ramo de tipografia em Corumbá, onde morou, antes de fixar residência em Campo Grande.

Opiniões publicadas por outros periódicos da época destacavam a qualidade gráfica e artística do trabalho realizado pelo experiente tipógrafo, que valorizava a inserção de ilustrações, usando a então moderna técnica da clicheria. Nesse sentido, o jornal O Mato Grosso, de Cuiabá, em 22 de novembro de 1931, anunciou o recebimento do seu primeiro número, destacando a sua primorosa composição gráfica e a qualidade dos artigos ilustrados. Um desses artigos registrava a atuação do general Bertoldo Klinger e de outros oficiais da Circunscrição Militar de Campo Grande, que haviam acabado de realizar exercícios militares na região de fronteira.

Nesses exercícios foram gravadas cenas do filme Alma do Brasil, retratando a Retirada da Laguna, considerado a primeira produção cinematográfica nacional de reconstituição histórica, inteiramente sonorizada, na opinião do saudoso advogado campo-grandense José Otávio Guizzo, que foi membro do Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro. A conhecida revista O Cruzeiro, de 19 dezembro de 1931, publicou reportagem sobre os bastidores da gravação do filme, com registros fotográficos do acampamento militar e do equipamento utilizado. 

Outro registro de circulação da revista está no jornal carioca A Noite, edição de 23 de outubro de 1931, acusando o recebimento do primeiro número e afirmando tratar-se de “uma excelente revista impressa na florescente cidade de Campo Grande”. No mesmo sentido, em 15 de maio de 1932, o jornal A Batalha, do Rio de Janeiro, publicou notícias sobre movimento constitucionalista, no sul de Mato Grosso, citando como fonte a revista Folha da Serra. 

Quando Monteiro Lobato e o político Hilário Freire visitaram Campo Grande, em 1936, para divulgar a “Campanha do Petróleo”, foram presenteados com exemplares da revista. Em dezembro do mesmo ano, o ilustre escritor publicou um artigo no Correio Paulistano, relatando detalhes da viagem e assim se expressou: (...) “revista ilustrada excelente, a Folha da Serra, primorosamente escrita, em nada lembra o tom clássico da literatura provinciana. Por que Folha da Serra? Ah! Trata-se da Serra de Maracaju, a única existente na rota, para lá de Aquidauana.” São fontes para a escrita da história da imprensa no Mato Grosso do Sul.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica