mercado futebol

Após 23 anos, Atlético-MG apresenta
balanço financeiro com lucro

18 ABR 2017 Por FOLHAPRESS 15h:48
Reunião do Conselho Deliberativo do Atlético Mineiro Reunião do Conselho Deliberativo do Atlético Mineiro

Em campo a temporada 2016 não foi de muito sucesso para o Atlético-MG. Apesar de conquistar vaga para a disputa da Copa Libertadores pelo quinto consecutivo, com a quarta colocação no Campeonato Brasileiro, o time não conquistou nenhum título.

Foram dois vices, no Campeonato Mineiro e na Copa do Brasil. Mas fora de campo a diretoria alvinegra tem muito o que comemorar. Após 23 anos, o clube fechou um ano com lucro, como apurou a reportagem.

Na próxima segunda-feira (24), o conselho deliberativo do Atlético vai se reunir para votar a aprovação ou reprovação das contas referente ao ano de 2016.

No documento já enviado aos conselheiros, para que possam analisar o balanço financeiro do Atlético, é possível ver que o clube mineiro faturou R$ 316,3 milhões e teve lucro de R$ 2.132.047,00 no ano passado. Para destacar o feito que não acontecia desde 1993, o balanço enviado aos conselheiros destaca que o clube teve lucro mesmo pagando R$ 30,3 milhões em atualização das dívidas fiscais.

Considerando os valores movimentados pelo futebol atualmente, a quantia pode parecer baixa, mas para o histórico recente dos balanços apresentados pelo Atlético, foi uma grande conquista.

Em 2015, por exemplo, o clube mineiro teve prejuízo de R$ 11.908.723,00. Embora o futebol sempre apresente números positivos, sempre com lucro, o pagamento de antigas dívidas fez com que o Atlético fechasse no vermelho nas últimas temporadas.

Certamente a elevação do faturamento foi determinante para o Atlético não fechar o ano no vermelho, como aconteceu sempre que o clube passou a divulgar seus balanços financeiros, como determina a Lei Pelé. Em 2016, a arrecadação atleticana foi superior a R$ 316 milhões, muito acima dos R$ 253 milhões previstos no orçamento da temporada, apresentado ao conselho em novembro de 2015.

A principal fonte de renda do Atlético no ano passado foi a televisão. Foram quase R$ 129 milhões referentes às transmissões das competições que a equipe participou. A negociação de atletas aparece como a segunda principal fonte de renda do clube e, em 2016, gerou R$ 78,5 milhões. Com bilheteria e o programa 'Galo na Veia', o Atlético faturou cerca de R$ 47 milhões.

Entre os gastos da temporada, o maior foi com o pagamento da folha salarial do futebol. Com um elenco recheado de grandes nomes, o Atlético gastou R$ 124.7 milhões entre salários e direitos de imagens no ano passado.

Um grande aumento em comparação com 2015, quando o gasto neste quesito foi de R$ 88,5 milhões.
Para a temporada 2017, a expectativa da diretoria atleticana é de mais um ano com lucro.

O orçamento aprovado pelo conselho, no final do ano passado, prevê um faturamento de R$ 328 milhões. Caso se concretize, vai superar a quantia de 2016, que é um recorde na história do Atlético. Pela primeira vez a equipe mineira faturou mais de R$ 300 milhões em apenas uma temporada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica