FECHADAS

Varejo de MS perdeu 1.837 pontos
de vendas no ano passado

Volume de negócios fechados é 55% maior que em 2015

14 FEV 2017 Por DA REDAÇÃO 05h:00
Crise elevou total de estabelecimentos fechados em ruas  de Campo Grande no ano passado e puxou desemprego no setor Crise elevou total de estabelecimentos fechados em ruas de Campo Grande no ano passado e puxou desemprego no setor

Ainda enfraquecido pela crise econômica, o varejo de Mato Grosso do Sul perdeu 1.837 pontos de venda em 2016, número 55% superior ao de encerramento de lojas no ano anterior (-1.185 lojas).

Os dados, apurados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), referem-se ao fechamento líquido de estabelecimentos comerciais com vínculo empregatício do setor, que somou 108,7 mil no Brasil em todo o ano passado. Trata-se do pior número registrado no País desde 2005, quando o levantamento foi iniciado.  

Ainda conforme o estudo, as micro (-32,7 mil) e pequenas empresas (-39,6 mil) — que empregam até 9 pessoas e de 10 a 49 funcionários, respectivamente — foram as mais afetadas pelo momento econômico em 2016.

No ano anterior, este segmento respondia por 98,6% dos pontos de venda do varejo nacional e empregava 76,5% da força de trabalho do setor. Lojas de médio porte, com 50 a 99 empregados, tiveram perda de 12,9 mil pontos de venda. Já os grandes varejistas, com mais de 99 funcionários, fecharam 23,5 mil lojas.

Lideraram os encerramentos de lojas no País os ramos de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-34,8 mil lojas), lojas de vestuário, calçados e acessórios (-20,6 mil) e lojas de materiais de construção (-11,5 mil). Segundo a CNC, à exceção dos hiper e supermercados — que sofreram com a escalada dos preços no atacado no início de 2016.

*Leia reportagem, de Daniella Arruda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica