DOURADOS

Falência de usina de Bumlai
acende alerta sobre demissões

Prefeitura, trabalhadores e setor empresarial criam comissão

13 JUN 2017 Por DA REDAÇÃO 05h:00
Desde que entrou em recuperação judicial, a produção da usina entrou em declínio e estaria em 7 mil toneladas por dia Desde que entrou em recuperação judicial, a produção da usina entrou em declínio e estaria em 7 mil toneladas por dia

Passado o choque inicial causado pelo decreto de falência da usina São Fernando Açúcar e Álcool e das demais empresas do grupo pertencente à família do pecuarista José Carlos Bumlai na quarta-feira, trabalhadores da indústria, do setor empresarial e representantes da Câmara Municipal e Prefeitura de Dourados vão montar uma comissão para acompanhar o novo processo de gestão do empreendimento.

Essa medida agora é conduzida por um administrador judicial nomeado pela Justiça. A comissão pretende auxiliar na captação de investidores interessados na compra da unidade.

De acordo com a prefeita Délia Razuk (PR), que reuniu-se ontem com grupo de trabalhadores da usina, produtores rurais, representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Açúcar, Etanol e Bioenergia de Dourados, da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), secretários e vereadores da comissão parlamentar de indústria, comércio e turismo, “a preocupação é ampla e de todos em evitar que um empreendimento com tal importância econômica acabe”. 

A usina São Fernando emprega em torno de 1,2 mil trabalhadores, mas, de acordo com dados repassados pela prefeitura, são cerca de 4 mil empregos, entre diretos e indiretos, relacionados ao empreendimento. A unidade foi inaugurada na década passada como gigante do setor sucroalcooleiro de Mato Grosso do Sul.

*Leia reportagem, de Daniella Arruda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica