nome sujo

Envolta em polêmica, Lei da
Inadimplência volta ao debate hoje

Setor empresarial é contra e tenta barrar projeto na Assembleia

27 SET 2017 Por DA REDAÇÃO 04h:00
Sessão na Assembleia foi marcada pelo protesto de empresários e comerciantes contrários à regulamentação da lei Sessão na Assembleia foi marcada pelo protesto de empresários e comerciantes contrários à regulamentação da lei

Deve ser votada nesta quarta-feira a manutenção, ou não, do veto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao Projeto de Lei nº 133/2017, de Beto Pereira (PSDB) e Pedro Kemp (PT), que regulamenta o sistema de inclusão dos nomes dos consumidores nos cadastros de proteção ao crédito em Mato Grosso do Sul.

O projeto gerou polêmica e uma série de protestos do setor empresarial no Estado. Na manhã desta terça-feira, comerciários e representantes de entidades ligadas ao setor participaram da sessão plenária com camisetas e faixas contrárias ao projeto.

A categoria pediu aos parlamentares que votem pela manutenção do veto do governador.

Pelo texto vetado, antes de ser negativado, o consumidor inadimplente precisa ser comunicado via Aviso de Recebimento (AR), e não por carta simples, como é feito atualmente.

Para o autor do projeto, Beto Pereira, a medida visa acabar com um lapso jurídico, uma vez que a comunicação por escrito é vigente no País, como determina o Código de Defesa do Consumidor, mas não é especificada a forma de como deve haver esse aviso.

Coautor do projeto, Kemp manifestou-se favorável ao veto do governador. “Fui inicialmente favorável à proposta, mas penso que temos de ouvir a sociedade. Ouvi os argumentos das entidades e o veto foi correto. O que podemos é, quem sabe, discutir um projeto alternativo”, afirmou.

*Leia reportagem, de Renata Prandini, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica