muitas vítimas

Violência doméstica aumenta na Capital
em balanço divulgado por PM

Estatística indica aumento de 4,3% em fevereiro

5 ABR 2017 Por BÁRBARA CAVALCANTI 18h:43
Suspeito de violência doméstica preso pela Polícia Civil Suspeito de violência doméstica preso pela Polícia Civil

Dados divulgados pela Polícia Militar de Mato Grosso do Sul hoje indicam que a violência doméstica aumentou 4,3% em Campo Grande. As informações são referentes aos índices criminais de Mato Grosso do Sul, comparados entre fevereiro de 2016 e 2017. No interior, o índice de violência contra a mulher segue estagnado, pelo fato de ter registrado queda de 0,3%.

As informações ainda indicam que os homicídios culposos no trânsito diminuíram 35,7% em todo Estado. No ano passado, foram registrados pela polícia 28 homicídios culposos nas vias urbanas, número que foi reduzido para 18 casos neste no período analisado.

Na Capital, a diminuição foi de 20% se comparada com fevereiro do ano anterior.

Ainda em Campo Grande, roubos tiveram uma redução de 10,1% e os furtos, 14,4%. Conforme a polícia, não foram registrados roubos seguidos de morte na Capital em fevereiro de 2017. Os furtos à residência caíram 14% e os furtos de veículos também tiveram queda, de 19,8%.

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

Na questão da prevenção contra a violência doméstica, o Poder Judiciário, durante todo o ano, realiza ações com a Carreta da Justiça relacionadas à Campanha “Mulher Brasileira”, que faz parte da mobilização nacional “Justiça pela Paz em Casa”.

A iniciativa foi idealizada pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia.

Ontem foi realizado teatro ao ar livre que tratou do assunto da violência doméstica, em Rochedinho, distrito de Campo Grande. A próxima encenação está programada para acontecer no distrito de Anhanduí, no dia 11 de abril.

Durante as visitas aos distritos, juiz e equipe da unidade móvel ficarão à disposição para orientações jurídicas e ações restritas a casamento e reconhecimento de união estável. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica