SEM SUCESSO

Reunião no DF volta a tratar
investimento contra crimes de fronteira

Secretário José Carlos Barbosa teve encontro com ministro da Justiça

13 ABR 2017 Por BÁRBARA CAVALCANTI 18h:28
Ministro da Justiça, Osmar Serraglio, com comissão de Mato Grosso do Sul liderada por José Carlos Barbosa Ministro da Justiça, Osmar Serraglio, com comissão de Mato Grosso do Sul liderada por José Carlos Barbosa

Em mais uma tentativa de atrair investimento para a segurança na faixa de fronteira, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, voltou a Brasília para cobrar aumento do efetivo das Polícias Federal e Rodoviária Federal.

Essas solicitações já foram feitas anteriormente, mas nem Governo do Estado conseguiu sensibilizar a União, e do outro lado, nem o Ministério da Justiça cedeu aos pedidos.

Os argumentos usados para justificar mais investimentos foram os mesmos: fronteira de mais de 1,5 mil quilômetros de frontiera entre Paraguai e Bolívia, 549 quilômetros de fronteira seca vulnerável para a entrada de drogas e falta de policiais para cobrir essa faixa territorial.

O encontro em Brasília aconteceu no Ministério da Justiça, com a presença do ministro Osmar Serraglio. Na ocasião, José Carlos Barbosa também reforçou solicitação já apresentada no mês passado pelo governador Reinaldo Azambuja, que pedia elaboração de termo de cooperação junto à Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad) para construção de nova sede para o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) em Dourados.

Além disso, a demanda também incluiu a recuperação de um helicóptero que se encontra a disposição do Estado para ser utilizado no combate ao crime organizado.

PRESÍDIOS

Barbosa também pediu recursos federais para o sistema prisional. Ele argumentou que a maioria dos detentos não são de Mato Grosso do Sul e foram presos por conta do tráfico de drogas.

“Temos aproximadamente 16 mil presos em Mato Grosso do Sul. Proporcionalmente, é o segundo estado da federação com maior número de presos por 100 mil habitantes. Temos o dobro da média nacional, que é de 306 por 100 mil. Desse total, mais de 6 mil são presos do tráfico, que é internacional", analisou.

O Governo de Mato Grosso do Sul entrou com ação na Justiça contra o governo federal para tentar resolver a superlotação nas unidades penais. O Estado negocia que União construa presídios em Mato Grosso do Sul, ou pague o custo para manter os internos que cometeram crimes federais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica