Fim de ano

Pagamento do salário 13º dos
servidores estaduais é incerto

Governo conta com recursos do Refis e compensações para pagamentos

30 SET 2017 Por DA REDAÇÃO 07h:00
“Vai depender da economia”, disse Reinaldo Azambuja “Vai depender da economia”, disse Reinaldo Azambuja

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, disse nesta sexta-feira que ainda não sabe como fará para pagar o 13º salário dos 73 mil servidores estaduais.

A arrecadação do Programa de Regularização Tributária (Refis), lançado na semana passada, deverá ser fundamental para a administração estadual planejar o pagamento da folha especial de fim de ano, estimada em R$ 465 milhões. 

“Depende do desenvolvimento da economia. Se não tiver perdas como nós tivemos no mês passado, com o ICMS do gás, que se avolumou, e tivermos um aporte de recursos por meio do Refis dentro daquilo que a gente espera, acho que é possível equacionarmos”, afirmou Azambuja. 

A expectativa de arrecadação com o Refis é bem inferior ao custo da folha de pagamento do 13º. O governo do Estado espera arrecadar até R$ 100 milhões com o programa, que prevê descontos de até 95% em dívidas tributárias.

Como não será possível pagar o 13º salário dos servidores estaduais apenas com os recursos do Refis, Reinaldo Azambuja trabalha com outras hipóteses de financiamento. Uma delas é a de receber até o fim do ano o ressarcimento da Lei Kandir.

“No ano passado, fomos ressarcidos em R$ 100 milhões, e isso ajuda muito o caixa”, afirmou. 

*Leia reportagem, de Eduardo Miranda e Jones Mário, na edição de sábado/domingo do jornal Correio do Estado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica