um ano e meio depois

Equipes dão início a obra de construção
de nova ponte em Guia Lopes da Laguna

O novo investimento vai custar R$ 4,7 milhões aos cofres estaduais

17 JUL 2017 Por Bárbara Cavalcanti 13h:08
A nova ponte será construída ao lado do que restou da antiga A nova ponte será construída ao lado do que restou da antiga

Quase um ano e meio depois de a ponte ter desabado, equipes da empresa contratada pelo Governo do Estado realizam obras de terraplanagem e preparação para os pilares da nova obra sobre o Rio Antônio, na MS-382, no município de Guia Lopes da Laguna. Em janeiro de 2016, a estrutura desabou em "efeito dominó" e deixou moradores sem uma das principais vias de acesso entre zona rural e cidade.

O novo investimento vai custar R$ 4,7 milhões aos cofres estaduais, valor três vezes maior que o gasto para edificar a ponte em 2012. O Governo foi procurado para responder quando exatamente as atividades começaram e quando a obra deve ficar pronta, mas até o fechamento desta matéria ainda não tinha levantado as informações.

As equipes trabalham na confecção das cortinas e tubulões, que darão origem aos pilares, conforme divulgado pelo Estado. Além disso, está sendo feita a terraplanagem da beira do rio para retificar o eixo da estrada. A nova construção terá 80 metros de extensão, duas pistas e uma passarela. O trecho é o que liga os municípios de Guia Lopes da Laguna e Antônio João e também dá acesso aos assentamentos Retirada da Laguna e Rio Feio.

A empreiteira Prudencia Sociedade de Engenharia e Construções LTDA foi a selecionada em março deste ano para tocar a obra. A nova ponte será construída ao lado do que restou da antiga, que permanece no local por causa das auditorias do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público Federal (MPF). Na época do lançamento do edital, o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, explicou que a licitação demorou mais de um ano a ser lançada por causa desta mudança de locais, para não atrapalhar as investigações.

"Efeito Dominó"
O desmoronamento aconteceu em janeiro de 2016. Apesar de ter acontecido durante o período de chuvas de verão, laudos apontaram que o motivo da queda não estava ligado a causas naturais. A necessidade de auditoria para encontrar o real motivo do problema foi justamente uma das justificativas do Governo para não iniciar o conserto da ponte imediatamente.

Quando aconteceu o desmoronamento, a Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) fazia o reparo na cabeceira da conexão, onde aconteceu um deslizamento de terra e como se fosse um efeito dominó, derrubou todo o restante da ponte.

Investimentos
Enquanto não resolvia esta situação, o Estado já desembolsou aproximadamente outros R$ 4 milhões em três outras pontes, que já foram erguidas e entregues, desde janeiro deste ano. Dados do governo estadual detalham que uma das pontes fica sobre o córrego Desbancado, outra sobre o Rio Santa Tereza e a terceira sobre um fluxo desviado do Rio Santo Antônio. Dados do Governo indicam que foram gastos R$ 789,8 mil no trecho do córrego, R$ 2,1 milhões com a travessia sobre o Rio Santa Tereza e R$ 1,3 milhões com a ponte sobre o Rio Santo Antônio. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica