Campo Grande

Confundido com irmão de policial,
homem é mantido refém e espancado

Usuários se revezavam para agredir, humilhar e ameaçar vítima de morte

15 JUL 2017 Por VÂNYA SANTOS 10h:10

Homem de 32 anos diz ter sido abordado, mantido refém em cativeiro e espancado por usuários de drogas ao ser confundido com irmão de policial. Crime teve início no final da tarde de ontem e aconteceu na Rua do Livramento, Bairro Coronel Antonino, em Campo Grande.

Vítima, que é irmão de Bombeiro Militar, relatou para a polícia que voltava do trabalho, às 17h15 de ontem, quando passou em frente a um imóvel utilizado por usuários de drogas, foi abordado e cercado por várias pessoas.

Segundo a versão do homem, ele foi enforcado e levado para dentro no imóvel, onde foi mantido até as 4h40 de hoje. Ele contou que durante esse período, foi amarrado e agredido sob a justificativa de que era irmão de policial e havia denunciado os agressores pelo crime de tráfico de drogas.

A vítima garantiu que nunca denunciou os usuários e que seu irmão é bombeiro e não policial militar. Disse ainda que enquanto estava no cativeiro, permaneceu o tempo com mãos, pés e pernas amarrados por fios, que também foram colocados em volta de seu pescoço.

Autores faziam uso de entorpecentes e se revezavam para agredir, humilhar e ameaçar a vítima de morte. Homem foi agredido com coronhadas na cabeça e teve a calça rasgada com uma faca.

Ele conta que em certo momento, um usuário perguntou a um paraplégico que estava no local a respeito do que deveria fazer com o homem e então o paraplégico respondeu “mata ele”. Agressor pegou um pano, encharcou com óleo de motor e colocou na boca da vítima para que ela não gritasse enquanto era esfaqueada, no entanto, foi impedido de prosseguir por outro usuário que não queria que o crime fosse praticado na casa.

Enquanto os autores discutiam a respeito de como matariam o homens, outras pessoas chegavam no local com cervejas. Todos foram para os fundos do imóvel usar droga e beber as cervejas, foi quando o homem conseguiu cortar os fios e fugir pulando o muro

Vítima disse que agressores roubaram seu salário e o aparelho celular. Disse ainda que na casa havia grande quantidade de cocaína e dinheiro proveniente do tráfico, além de arma de fogo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica