'Sem maldade nenhuma'

Selfie no quintal de casa onde avião caiu repercute na web

11 OUT 2017 Por G1 19h:00
Foto foi tirada no quintal onde monomotor caiu (ao fundo), em Rio Preto Foto foi tirada no quintal onde monomotor caiu (ao fundo), em Rio Preto

Uma foto tirada no quintal da casa onde um monomotor caiu, matando as três pessoas que estavam a bordo, na segunda-feira (9), repercutiu negativamente na internet. Na foto, aparecem dois homens, um deles com um copo de cerveja na mão, e no fundo é possível ver o avião caído, com parte da asa dentro da piscina.

Na imagem aparecem Valdir de Oliveira Silva, filho do dono da casa atingida pelo monomotor, e o amigo, Ronnie Lima Dias, que tirou a selfie com o copo na mão. Ninguém na casa ficou ferido.

A foto, compartilhada inicialmente por Whatsapp, viralizou rapidamente e foi alvo de críticas ao ser compartilhada no Facebook com a legenda que dizia que os dois estavam fazendo uma festa no local.

Após a repercussão negativa, Valdir mandou um áudio a amigos pelo Whatsapp em que ele fala sobre a foto. "Estava encostado no balcão, e o cara tomando cerveja... Aí ele virou pra tirar a foto, e como eu estava atrás da foto – sem maldade nenhuma – coloquei só a mão na frente e tirou a foto. Entendo perfeitamente que essa foto pegou super mal, mas sabe aquela foto que não teve maldade nenhuma? Mas infelizmente já está rodando", diz Valdir em um trecho do áudio.

A reportagem do G1 conseguiu falar com a mãe de Valdir, Sandra de Oliveira Silva, de 61 anos. Ela explicou que o filho está em Goiânia e que pediu para ele ir até lá dar assistência a ela e ao marido. “Pedi para ele ir em casa porque o Cenipa estava lá e iria fazer várias perguntas. Ele não mora comigo e foi para dar um amparo. Fiquei atordoada com tudo isso. Depois de um tempo chegou o amigo com um copo de cerveja, e não vou proibir alguém de entrar em casa com um copo. O rapaz tirou uma foto por tirar e apareceu o avião”, afirma.

Sandra diz que, ao contrário do que foi divulgado na internet, não houve nenhum tipo de festa no local.

“Ficaram policiais na minha casa o dia todo, até de noite. Estou sem água em casa até para tomar banho, então como vou fazer churrasco? A equipe estava lá e também pode dizer que não teve nenhum tipo de festa.”

A dona da casa, que é empresária, lamenta a repercussão negativa da imagem, mas reforça que não houve má intenção. “Inocentemente tiraram a foto. Ninguém está contente com o que aconteceu. Morreram três pessoas no meu quintal e minha casa está destruída."

Para ela, o julgamento das pessoas piora o trauma de ter a vida revirada por um trágico acidente. "Meu marido está operado e quase morreu com o susto do avião. Não abro nem meu Facebook. As pessoas falam coisas que não sabem e julgam sem saber a verdade. Acho uma covardia o que estão fazendo. Morreram três pessoas na minha casa, como vamos ficar felizes? As pessoas não sabem o que estão falando”, conclui.

A reportagem tentou entrar em contato com Ronnie, que aparece em primeiro plano na foto, mas não teve retorno.

'Difícil de acreditar'

O pai da família, Valdir da Silva, 71 anos, diz que está muito assustado e que não consegue esquecer o barulho provocado com a queda.

“Foi um estrondo absurdo, quando olhei vi tudo destruído. Fui para frente da casa e pedi para chamarem a polícia. E depois vi que era um avião que tinha caído no quintal, difícil de acreditar”, diz.

Valdir conta que estava na cozinha, próximo à varanda, e estava indo cuidar da criação de passarinhos que tem na casa quando ouviu um forte estrondo. Logo após o acidente, ele diz que se preocupou com um amigo e a funcionária que estavam na casa.

“Eu estou falando com Deus a todo momento. Foi por poucos metros, foi um susto grande. Como vou esquecer o estrondo na minha cabeça? Vai demorar”, afirma o morador.

O acidente

O monomotor, de prefixo PT-DDB, saiu de Tangará da Serra (MT) na manhã de segunda-feira com destino a Rio Preto, mas caiu a 300 metros do aeroporto, por circunstâncias ainda desconhecidas.

Nele estavam o piloto William Rayes Sakr, de 58 anos, o médico Allyson Lima Verciano, de 33, e o empresário Caique Caciolato, de 25. Os três morreram com o impacto da aeronave no solo.

As imagens mostram que avião se chocou "de bico" no quintal da residência. Parte da asa ficou dentro da piscina.

Técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que investigam o acidente, estão na cidade desde a noite de segunda. Eles retiraram o motor e algumas peças do monomotor na manhã desta terça-feira (10).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Voltar
©2017 Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma
Versão Clássica